terça-feira, 13 de junho de 2017

Resenha: A Fera - Brie Spangler

Resultado de imagem para a fera brieTítulo: Fera
Título Original: Beast
Autora: Brie Spangler
Editora: Seguinte
Páginas: 348
Ano: 2017
Skoob: A Fera
Compre: Saraiva
Avaliação: ★★★★


Sinopse: Dylan não é como a maior parte dos garotos de quinze anos. Ele é corpulento, tem quase dois metros de altura e tantos pelos no corpo que acabou ganhando o apelido de “Fera” na escola. Quando ele conhece Jamie, em uma sessão de terapia em grupo para adolescentes, se apaixona quase instantaneamente. Ela é linda, engraçada, inteligente e, ao contrário de todas as pessoas de sua idade, parece não se importar nem um pouco com a aparência dele. O que Dylan não sabe de início, porém, é que Jamie também não é como a maioria das garotas de quinze anos: ela é transgênera, ou seja, se identifica com o gênero feminino, mas foi designada com o sexo masculino ao nascer. Agora Dylan vai ter que decidir entre esconder seus sentimentos por medo do que os outros podem pensar, ou enfrentar seus preconceitos e seguir seu coração.

Resenha: Desde que A Fera foi lançado nos Estados Unidos no final do ano passado eu fiquei apaixonada pela capa, na época nem li a sinopse, só imaginei que fosse mais uma releitura de A Bela e a Fera que ta tão na moda graças ao filme lançado esse ano. Só fui ver qual era a história do livro quando foi anunciado seu lançamento em português, e o que era amor pela capa virou muito expectativa pelo o que eu sentia que seria uma história maravilhosa (e foi!). Imaginem a minha felicidade quando chegou um pacote da Companhia das Letras em casa e eu descobri dentro esse livro, que ficou pra mim no mesmo nível de Simon vs. A Agenda Homo Sapiens e Dois Garotos se Beijando no quesito tocante, doce e maravilhoso.

O livro começa com Dylan, um garoto de quase dois metros de altura, que não para de crescer, tem o corpo inteiro coberto de pelos e odeia muito a própria aparência, contando como foi parar no hospital depois de terem anunciado uma proibição na escola a cabelos muito longo e bonés, suas formas mais fáceis de tentar se esconder na multidão. Em um pequeno surto depois do pior corte de cabelo da história fornecido pelo seu melhor "amigo" e garoto mais popular da escola, JP, Dylan meio cai, meio pula do telhado de casa na esperança que uma perna quebrada chame menos atenção que o resto de si na escola aquele ano. 
Pelo visto eu vou ter que mancar nos sonhos de agora em diante. Muletas são perfeitas. Vou ficar conhecido como o Cara das Muletas. "Ei, olha aquele cara de muletas", vou ouvir as pessoas dizerem ao passar por mim. Gosto da ideia. Parece tão incrivelmente comum.
Ao perceber o desgosto que sente por si mesmo, seu médico o encaminha para terapia em grupo, o que deixa sua mãe viuvá ainda mais super protetora. É na terapia, depois de um dia horrível onde ouve a menina que ele gosta o chamando das coisas mais terríveis possíveis, que ele conhece uma menina muito bonita chamada Jamie. Ela é bem alta para uma menina, e ele fica interessado na beleza diferente dela. Ele é o único menino da turma e, por não estar tão interessado na terapia, acaba perdendo pontos importantes falados lá.
"Às vezes pessoas falam coisas esquisitas quando veem que eu sou trans."
Eu solto a mão dela.
"O quê?"
Ela parece irritada e se inclina para frente para repetir.
"Que eu sou trans."
"Transponder?"
"Eu pareço um rádio por acaso?"
"Tá. Trans o quê, então?"
Jamie revira os olhos.
"Transgênera? Alô?"
Não estou ouvindo direito.
"Dylan?"
"Você está de brincadeira, isso é uma piada", digo. Ela olha pra mim, confusa e de olhos arregalados. "O JP armou isso com você?"
Depois da terapia ele acaba saindo com Jamie, e da forma mais inusitada possível, eles criam um relacionamento. Depois de uma pequena caçada de Dylan pra achar e conhecer melhor a garota, eles vão se apaixonando e começam a namorar oficialmente. Tudo vai por água abaixo quando Dylan apresenta sua namorada para o melhor amigo JP, que percebe de cara que a garota é transgênero. Dylan, que não havia percebido isso EM NENHUM MOMENTO, e não tinha ouvido isso ser falado na terapia, entra em choque e tem a reação mais babaca possível.
"Isso foi um erro terrível", ela diz. "Achei que estava te dando pontos por ser uma pessoa decente, mas na verdade estava te dando pontos por burrice esse tempo todo." Ela apoia o punho na cabeça. "Ou não, eu não estava dando pontos para você. Era a mim mesma, por achar que tínhamos uma coisa verdadeira. Deus, me sinto tão idiota. Mas não importa, acabou tudo entre nós."
A partir daí Dylan entra numa grande jornada de autodescoberta, aceitação, mudanças bruscas e desconstrução dos conceitos sobre o mundo e si mesmo. Tentando entender seus sentimentos por Jamie, a relação com o pai que morreu quando era muito pequeno, a amizade com JP onde os dois tiram proveito um do outro e às vezes não parece nem uma amizade de verdade. Passando por idas e vindas com Jamie, que também está passando
por momentos de muitas dúvidas por toda essa situação, se resolvendo com sua mãe e com todos os seus dilemas, Dylan começa a finalmente ser quem ele é e sempre escondeu.
"Como assim mãe?"
"Bem, você oficialmente saiu dos seu casulo, abriu suas asas e se divertiu pra valer", ela diz. "Tem cerveja na minha cozinha, pelo suficiente no banheiro para fazer uma peruca, e você acabou de fazer sexo com uma garota que tem um pênis. O que mais eu deveria pensar?"
Oh, Deus, me transforme num pássaro para que eu possa voar para longe. Bem, bem longe daqui.

Essa foi uma leitura muito rápida e emocionante pra mim, com uma história cheia de momentos bem profundos, mas ao mesmo tempo com muito bom humor. Dylan é um jovem bem confuso e que em muitos momentos sente os mesmos medos que qualquer adolescente teria, mas muitas vezes pior graças a tudo ser muito maior pra ele, sua altura, a quantidade de pelos no corpo, e ao mesmo tempo que em alguns momentos vocês acha ele MUITO BURRO, você consegue entender o que eles está passando porque ele é do jeito que é e torcer por ele. Jamie é a minha primeira protagonista transgênero, e por mais que as coisas não sejam vistas de seu ponto de vista, ela é uma personagem muito cativante e que mostra que todas as dificuldades que um transgênero, mas dando ênfase muito maior em que ela é uma simplesmente uma garota que se sente normal e quer que os outros a vejam assim também.

O romance entre os dois é muito bonito, tudo tratado de uma forma muito delicada e  fofa, que faz você dar risadinhas de felicidade e ficar quentinha por dentro, e isso faz ser ainda mais triste quando algo da errado ou o Dylan entra em crise em meio a toda a situação. Os personagens secundários, a mãe do Dylan e o JP, ambos tem seus próprios conflitos internos, que em grande parte divergem bastante da situação principal, os dois pela maior parte do livro apoiando totalmente o relacionamento do casal, a mãe principalmente de uma forma que dá muita esperança na humanidade (quem dera todas as mães reagissem dessa maneira). Minha única reclamação seria que ele acabou rápido demais (sou uma grande fã de epílogos!), porque estou completamente apaixonada pela história, adorei os personagens, a narrativa, a escrita e como isso me fez refletir como eu me sentiria na mesma situação, e como as vezes a gente se acha tão mente aberta mas é só porque não aconteceu nada que nos faria encarar a realidade de frente. Quero muito uma sequência focada no JP, não só pra ver de novo esse casal adorável que eu amaria continuar a ver junto, mas principalmente porque o JP é um personagem com uma história também bem complexa e que acabou com algumas pontas soltas, na minha opinião. Recomendo MUITO esse livro pra todas pessoas de 14 anos pra cima, principalmente aos de mente aberta, empáticos e que querem entender mais dessa realidade que está bem longe de grande parte da população de uma forma que vai te deixar completamente apaixonada por esse casal tão bonito.

4 comentários:

  1. Nossaaa que capa mais lindaaaa *-* Só pelo título pensei que fosse uma releitura de A Bela e a Fera, até porque amoooooo a animação e o live action!! O livro parece ser muito legal!!!
    Amei o blog <3

    http://blogpintandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Espero que você goste do livro" ♥

      Excluir
  2. Interessante sua resenha. Só não entendi quem é O JP? Seria A Jamie?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Então, JP é o melhor amigo do Dylan, que depois também vira amigo da Jamie, eu começo a falar dele ali no segundo parágrafo da resenha e ele faz aparições por todo livro, é um personagem bem interessante. Bjs ♥

      Excluir